Mês passado, propus um experimento lá no feed do Instagram e do Facebook para você se relacionar com cada um dos sentidos Рvisão, audição, tato, olfato e paladar Рum por vez, num ambiente da sua casa, lembra?

Voc√™ deve ter percebido como √© dif√≠cil isolar um sentido dos demais, se concentrar nele e interpretar a sensa√ß√£o que ele traz. Isso acontece porque o nosso c√©rebro foi programado para analisar todas as informa√ß√Ķes em conjunto, n√£o separadamente. Desde sempre, fomos programados para viver na natureza, que √© extremamente complexa, cheia de est√≠mulos sensoriais.

Por isso, talvez, a dificuldade em visualizar se uma poltrona, por exemplo, exposta no showroom de uma loja, vai combinar com o tapete, com o quadro e com todo o conjunto da sala de estar, a ponto de trazer as sensa√ß√Ķes desejadas.

Mas como √© que o c√©rebro entende e processa todos esses est√≠mulos trazidos, simult√Ęneamente, pelos sentidos? A neuroci√™ncia mostra que, para entender o mundo, com diferentes formas, cores, texturas, √Ęngulos, ilumina√ß√£o, aromas, sons, nosso c√©rebro divide todas as informa√ß√Ķes trazidas pelos sentidos em PADR√ēES, em CATEGORIAS. Se isolarmos a vis√£o, por exemplo, conhecemos o padr√£o-categoria √°rvore, casa, carro, pessoa, cachorro e assim por diante. E esses padr√Ķes b√°sicos se dividem em subpadr√Ķes, em subcategorias. Dentro da categoria casa, por exemplo, podemos memorizar e agrupar um repert√≥rio de casas t√©rreas, outro agrupamento s√≥ com casas geminadas, outro com as grandes, as pequenas etc.

Isso acontece com todos os sentidos! Esses PADR√ēES ficam gravados na nossa mem√≥ria, reconhecemos seus elementos e somos capazes de fazer COMPARA√á√ēES entre eles. Tamb√©m podemos extrair significados emocionais deles. Essa mem√≥ria e essas associa√ß√Ķes emocionais s√£o baseadas nas nossas EXPERI√äNCIAS PESSOAIS e por isso variam de pessoa para pessoa.

√Č aqui que nasce a m√°xima “gosto n√£o se discute, tamb√©m n√£o se ensina e n√£o se vende.” Compor um ambiente e montar uma casa √© uma quest√£o de viv√™ncia pessoal; e a bagagem emocional de cada um n√£o pode ser fabricada de uma hora pra outra, n√£o deve ser ignorada em detrimento de tend√™ncias e modismos.

√Č aqui que nasce a As Coisas Falam!

Para apoiar quem deseja criar um ambiente, uma casa, que ultrapasse os padr√Ķes e as compara√ß√Ķes e consiga expressar as hist√≥rias, os afetos, as prefer√™ncias e a fase de vida de quem mora; traga harmonia e acolhimento.

Fontes:
_Livro TRIUNO: Neurobusiness e Qualidade de Vida, de Robson Gonçalves e Andréa de Paiva
_Livro O Prazer de Ficar em Casa, de Letícia Ferreira Braga

Instagram