A As Coisas Falam nasceu do desejo de reconectar as pessoas com as suas casas, movimentando, reorganizando e renovando as coisas e o fluxo dos ambientes, transformando lares em lugares restauradores e melhores pra se viver, se relacionar e se desenvolver.

Uma proposta que contraria o que é terceirizado, imposto e padronizado. Um modo de viver mais presente no mundo, para consumir com coerência e responsabilidade. Um convite para uma pausa, um momento para olhar pra dentro, para entrar em contato com quem você é e como quer viver.

Movimentando suas Coisas você pode Movimentar sua Vida!

O objetivo é construir uma ponte entre você e sua casa. Dar ferramentas para que você seja capaz de criar os movimentos para desenvolver uma casa que seja a extensão da sua personalidade e do seu estilo de vida, hoje! Vamos nos desconectar da lógica das revistas de decoração, das tendências, do modismo, para mergulhar no que é importante para você.

Entre. Sinta-se em casa!

Para quê e Por que

Para que um maior n√ļmero de pessoas sinta o poder restaurador de estar rodeado por coisas e ambientes que potencializam alegria.

Por que passar por um processo conex√£o com a casa √© uma excelente ferramenta de autoconhecimento, uma maneira de ‚Äúorganizar‚ÄĚ o nosso interior, adquirir confian√ßa e descobrir o que √© especial e, realmente, importa.

Por que cada casa é um templo, com beleza singular, que demanda organização, cuidados e limpeza diários. Mas que estará sempre lá, pronta para oferecer proteção, acolhimento e bem-estar.

Por que dentro de cada pessoa existe a casa real para aquela fase de vida, ela ‚Äús√≥‚ÄĚ precisa trilhar o caminho at√© l√°.

Por que me sensibilizo com as coisas, com o potencial e as possibilidades que cada uma tem para oferecer.

Quem Criou e Como Nasceu

Eu! Muito prazer! √Č com muita alegria que te dou as boas vindas na minha casa virtual, onde As Coisas Falam.

Sempre fui muito curiosa, observadora e sensível. Amo a natureza, os animais e sonhava ser Veterinária. Minhas habilidades em organizar e arrumar a casa desde sempre e as felizes descobertas nas aulas de Educação Artística do colégio prevaleceram, e me levaram a fazer faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Atraída pelo design dos objetos, passei um ano na Itália, me especializando em Design Comercial. Depois me apaixonei por Marketing e também me especializei. Mas me dediquei, amorosamente, ao Lighting Design (=Projetos de Iluminação), por 18 anos.

Estou casada desde 2014 com um engenheiro, que admira arquitetura e sonha em ser professor. Por ironia do destino, ele coleciona coisas. E eu? Coleciono viagens, experiências. Começar a nossa vida juntos me ajudou muito ver as coisas sob uma nova perspectiva. O processo de compartilhar uma casa, onde as minhas coisas iriam dividir os espaços com as coisas dele, nos tirou do lugar de conforto.

Entramos em contato com o nosso acervo, tivemos que avaliar o que fazia sentido na nova fase, abrir m√£o, revisitar as mem√≥rias, conversar, respeitar o significado de cada coisa, a personalidade e o tempo de cada um. Redefinimos a nossa rela√ß√£o com as nossas coisas e acabamos aprofundando o nosso relacionamento. Um verdadeiro laborat√≥rio para o que estaria por vir ūüėČ

Acredito que toda essa movimenta√ß√£o atrav√©s do amor acabou me fazendo lembrar o quanto gosto de ser “dona de casa”, o quanto gosto de receber os amigos, de estar com as pessoas que amo, o quanto me sinto leve e feliz fazendo um bolo na cozinha de casa, por exemplo. Gosto das coisas boas e simples da vida! Como o cheiro de bolo quentinho passeando pelos ambientes do nosso lar, doce lar… ahhh, que del√≠cia!

Em 2017, iniciei o meu ano sabático* (sempre achei muito chique quando diziam isso). Mas colocando o glamour de lado, precisava de um respiro, uma pausa de quase tudo que vinha fazendo, meio no piloto automático. Precisava atualizar o software, sabe? Confesso que não foi fácil. Às vezes dolorido, outras vezes libertador, outras tantas trabalhoso, mas um processo expansivo e muuuito rico!

Um ano depois, em 2018, do resultado desse caminho particular, nascia a As Coisas Falam. Uma proposta que re√ļne tudo que fui sendo na vida, que bate no compasso do meu cora√ß√£o e preenche toda minha alma de alegria. Um neg√≥cio onde posso reunir e partilhar minhas multi-funcionalidades, minhas paix√Ķes, minhas experi√™ncias, viagens cheias de insights, aprendizados e conhecimentos. Vamos viver essa experi√™ncia lado a lado, se reconectando afetuosamente a vida em casa e a cultura do morar.

Com carinho ‚ô•

Lu Costantin

 

*Ano Sab√°tico: O termo surgiu atrav√©s das tradi√ß√Ķes do costume judaico, que consistem no dia de descanso para os judeus. Na b√≠blia, o ano sab√°tico √© conhecido por Shemit√°, que na tradu√ß√£o literal do hebraico significa ‚Äúliberta√ß√£o‚ÄĚ.

Nosso Símbolo

Com o t√≠tulo de “O poder da interven√ß√£o nas m√≠nimas coisas”, nossa identidade visual foi criada pelo mucci.co e √© cheia de s√≠mbolos e significados. Sou t√£o apaixonada por ela, que queria dividir um pouco com voc√™s o que ela representa e as leituras que podemos fazer a partir dela.

Nosso universo visual foi livremente inspirado nos pensamentos e na obra de um dos maiores nomes da hist√≥ria da arte brasileira, H√©lio Oiticica. A busca de Oiticica era por levar ao indiv√≠duo √† descoberta do seu centro criativo interior, da sua espontaneidade expressiva adormecida, condicionada ao cotidiano. Al√ßar √† ele a posi√ß√£o de participator, aberto a um novo comportamento que o conduzisse ao ‚Äúexerc√≠cio experimental da liberdade‚ÄĚ. Uma volta do sujeito a si mesmo, redescobrindo e libertando-se.

Dentro de sua obra, encontramos os Metaesquemas, que representam a investigação de uma nova estrutura espacial, cuja oposição simétrica evidencia a vontade de expandir-se no espaço. Isso gera uma interpretação cíclica e infinita: as partes se agregam configurando uma totalidade ou a totalidade se subdivide em partes?

Símbolo As Coisas Falam

Ou seja, partindo de algo concreto que possuímos hoje, é possível experimentar outros olhares e gerar novas possibilidades.

E se uma casa, quando observada de uma nova perspectiva, se tornasse livre e leve, como um cata-vento?

Nossa casa, assim como nós, está em constante mutação e foi através do cata-vento que representamos o conjunto dessas nossas vivências e metamorfoses. O lado simples e cíclico da vida, que nos faz reviver coisas e nos surpreende com novos ares, tornando possível ser quem somos, em casa!

Empresa certificada pelo Selo Casa Saud√°vel Pro!

Coordenado pelo Healthy Building World Institute (Instituto Mundial de ConstrucŐßaŐÉo SaudaŐĀvel), o Selo Casa SaudaŐĀvel eŐĀ a primeira certificacŐßaŐÉo mundial para construcŐßoŐÉes, profissionais e produtos da construcŐßaŐÉo que levam em consideracŐßaŐÉo elementos de sauŐĀde e bem-estar. J√° o Selo Casa Saud√°vel PRO eŐĀ a certificacŐßaŐÉo conferida a profissionais que saŐÉo capazes de aliar a sua especialidade aos paraŐāmetros da certificacŐßaŐÉo para criar ou manter espacŐßos saudaŐĀveis em sua interacŐßaŐÉo com a vida humana.

Depoimentos
Paula Carnelós

"O foco da As Coisas Falam é a pessoa, que através das suas coisas, memórias e histórias irá se redescobrir em um novo olhar! A casa é o meio de se chegar a este lindo resultado. Eu recomendo para qualquer pessoa que esteja aberta a descobrir o novo."

Patricia Boabaid

"A metodologia despertou o meu interesse n√£o s√≥ para ter uma casa decorada, mas para descobrir o meu estilo de morar, para come√ßar a pensar e a olhar para a minha casa como uma extens√£o do que eu sou e o que √© a minha fam√≠lia. √Č muito prazeroso ver as coisas indo para o seu lugar, transformando o ambiente."

Alessandra Guarino

"A Luciana me contagiou com a metodologia As Coisas Falam! No objetivo de revitalizar meu lar, encontrei nessa metodologia uma reflex√£o e autodesenvolvimento de quem somos, como estamos e o que queremos. Recomendo esse servi√ßo essencial para promover um lugar personalizado com a ‚Äúsua cara‚ÄĚ.

Claudia Reichel

"Muitas pe√ßas importantes da minha vida passaram de atores coadjuvantes para atores principais, como o compasso antigo do meu av√ī, engenheiro como eu, que ficava guardado em sua caixinha no fundo da gaveta e se transformou em um quadro com direito a posi√ß√£o de destaque na sala.‚ÄĚ

Nosso blog
Instagram