O termo vem do grego: Bios – Vida e Philia – Amor

“AMOR PELA VIDA”

Embora o termo pareça novo e esteja se tornando uma tendência nos campos da arquitetura e design de interiores, a ‘Biofilia’ foi usada pela primeira vez pelo psicólogo alemão Erich Fromm, em 1964. Depois, foi popularizada, nos anos 80-90, por Edward O. Wilson, biólogo, naturalista, escritor Norte-Americano, especialista e referência em Mirmecologia, estudo das formigas.

Segundo ele, os seres humanos têm uma ligação emocional genética com a natureza. Essa ligação tornou-se hereditária, provavelmente, pelo fato de que em 99% de nossa história não vivíamos em centros urbanos, e sim em meio a natureza.

O Design Biofílico propõe trazer a natureza para dentro dos ambientes.

Olha só algumas das vantagens de inserir a ‘Biofilia’ nos projetos de arquitetura e design: reduzir o estresse, aumentar a sensação de bem-estar, estimular a criatividade, aumentar a produtividade (em ambientes corporativos), aumentar a rentabilidade (em ambientes comerciais), reduzir o tempo de internação (ambientes hospitalares), aumentar a concentração de alunos em escolas.

E aqui os recursos mais utilizados nos projetos, para você avaliar se sua casa já te proporciona os benefícios da ‘Biofilia’:

  • Uso de Plantas: além de gerar bem-estar, são ótimas purificadoras de ar;
  • Acesso a Iluminação Natural: aproveitar o sol e perceber a mudança dos horários ao do dia auxilia positivamente o nosso metabolismo e a produção de alguns hormônios;
  • Ventilação Natural: ‘trocar’ o ar dos ambientes é extremamente saudável;
  • Vistas para o Exterior: poder olhar para uma paisagem ou para o horizonte é extremamente restaurador, além de reforçar a nossa sensação de segurança e conforto;
  • Uso de Materiais Naturais: madeira, pedra, bambu, entre outros, proporcionam diferentes texturas, cores e sensações sensoriais;
  • Água: O barulho da água é extremamente relaxante, portanto fontes e espelhos d’água são bem-vindos.

Importante ressaltar que, quando o assunto é ‘Biofilia’, estamos falando de natureza viva e natural. Pode parecer redundante, mas super importante para não desvirtuar o conceito! Todos os materiais e recursos que reproduzem e/ou imitam a natureza, artificialmente, apesar de proporcionarem bem-estar, entre outros benefícios, não são considerados Biofílicos.

 

Livros de Edward O. Wilson:

“Biophlilia – The human bond with other species” (Biofilia – O vínculo do humano com as outras espécies) e “The Biophilia Hypothesis” (A Hipótese da Biofilia)

Nosso blog
Instagram